Ajude na manutenção e expansão do Guia dos Quadrinhos


Gil Kane



País de nascimento: Letónia
6 de abril de 1926
31 de janeiro de 2000

Lista de revistas com trabalhos de Gil Kane
Veja lista detalhada dos trabalhos


Um dos grandes nomes dos quadrinhos por décadas, a carreira do desenhista Eli Katz, mais conhecido por seu pseudônimo Gil Kane, englobou os períodos conhecidos como Era de Ouro e Era de Prata dos quadrinhos.

Kane nasceu em Riga, Letônia, um país da Cortina de Ferro. Sua família mudou-se para os Estados Unidos em 1929, estabelecendo-se no Brooklyn.

Aos 16 anos, enquanto estudava na High School of Industrial Art, começou a trabalhar em estúdios como assistente. Primeiramente em trabalhos maçantes (como desenhar as bordas dos quadrinhos). Mas depois de um mês, Kane já começara a desenhar e a colorir ilustrações, e logo deixou a escola para poder trabalhar o dia inteiro. Nos anos seguintes ele se empregaria em diversas editoras (inclusive na Timely, que mais tarde tornaria-se a Marvel), aprendendo com artistas de destaque como Jack Kirby e Joe Simon.

Kane interrompeu sua carreira brevemente para alistar-se no exército durante a II Guerra. Já no final dos anos 50, participou intensamente das publicações da editora DC, ajudando a modelar a Era de Prata dos quadrinhos ao tornar-se artista principal de uma série de novos títulos de super-heróis baseados em personagens dos anos 40, como Lanterna Verde (1959) e Eléktron (1961).

Ele também continuou a trabalhar para a Marvel, ilustrando muitas das principais revistas da editora nos anos 60, como “Homem-Aranha”, “Hulk” e “Capitão América”. Kane, no entanto, não gostava quando Vince Colletta, um dos principais arte-finalistas da Marvel na época, passava tinta no seu lápis.

O estilo distinto de Kane, que combinava as figuras detalhadas de Frank Frazetta com a violência estilizada e os movimentos exagerados de Kirby, influenciou bastante outros artistas da Marvel na época.

Entre os projetos paralelos de Kane estavam dois longos trabalhos que ele escreveu e ilustrou: “His name is... Savage” (1968) e “Blackmark” (1971). Fugindo dos padrões da época, as duas obras foram publicadas em um único volume ao invés de em série, sendo consideradas exemplos de protótipos do formato “graphic novel”. Kane também trabalhou para a TV, modelando o visual de vários personagens de desenhos animados.

NAS TIRAS DE JORNAIS —

Kane também trabalhou para algumas agências distribuidoras de quadrinhos para jornais. Em meados dos anos 50, foi “ghost” (assistente anônimo) de Frank Giacoia em “Sherlock Holmes” (confira em www.comics.org/issue/244678/). Anos depois, criou uma tira de jornal, “Star Hawks”. Em 1979 substituiu Russ Manning nas páginas dominiciais de “Tarzan” — os roteiros ficaram a cargo de Archie Goodwin —, onde ficou até 1981 (no Brasil, o “Tarzan” de Kane foi publicado também no “Globinho Supercolorido”, o suplemento dominical do jornal “O Globo”, em 1981).

Em homenagem a seu trabalho de mais de cinco décadas, Kane foi incluido tanto no Hall da Fama do Prêmio Eisner quanto no Hall da Fama Jack Kirby do Prêmio Harvey em 1997.

Gil Kane morreu em 2000, aos 73 anos, na Flórida, em decorrência de complicações resultantes de um câncer.


(na foto, o autor em 1976)




Relate algum problema encontrado nesse artista