Esquenta Festival Guia dos Quadrinhos 2019


Mort Weisinger



País de nascimento: Estados Unidos da América
25 de abril de 1915
7 de maio de 1978

Lista de revistas com trabalhos de Mort Weisinger
Veja lista detalhada dos trabalhos


Editor e roteirista. Começou amador, no mundo dos fanzines de ficção científica. Iniciou profissionalmente editando “pulps” (revistas baratas de contos de aventuras para jovens). Em 1941, começou a trabalhar nos gibis da editora DC. Esteve envolvido na criação de “Aquaman” e “Johnny Quick”. Com George Papp, criou o “Arqueiro Verde”, no gibi “More Fun Comics” 73 (1941), bebendo nas águas de “Batman” (1939) e no príncipe Barin de “Flash Gordon”, embora Weisinger tenha garantido que sua inspiração para o novo herói foi Robin Hood.

Também incursionou na TV, sendo, nos anos 50, um dos editores da série “As aventuras do Superman”, estrelada por George Reeves. A série de TV impedia os quadrinhos do Homem de Aço de mudarem o “status quo” para não perder os espectadores que procuravam os gibis entre os episódios. Logo que o programa saiu do ar, Mort Weisinger não tinha mais amarras, e o final dos anos 50 foi marcado por um período incrivelmente criativo para o herói e seu crescente elenco de personagens. E, ainda em 1959, Weisinger convidou Jerry Siegel (um dos criadores do “Superman” e que Weisinger conhecia desde os tempos dos fanzines) para voltar a trabalhar para a DC, de onde tinha saído brigado anos antes. Weisinger começou então uma série e histórias de “o que aconteceria se” que mostrava os caminhos não trilhados pelo Homem de Aço (idéia mais tarde copiada pela editora concorrente, a Marvel Comics). Weisinger trouxe alguns dos melhores escritores, como o mestre da ficção científica, Otto Binder. Sua aventura “A outra vida do Superman” é uma das primeiras abordagens de um adulto Kal-El vivendo num planeta Krypton que nunca explodiu. m anos depois, Siegel o superou com a emocionante “Retorno a Krypton”.

Nos anos 60, Weisinger tutelou e lançou jovens talentos como Roy Thomas, Jim Shooter e Cary Bates, que iniciaram carreira na DC. Os dois primeiros, no entanto, acabaram mudando-se para a Marvel. Thomas, por exemplo, se desentendeu logo cedo com ele e migrou para a concorrência. Weisinger também não se deu bem profissionalmente com Siegel, que, em 1967, voltou a processar a DC.



Relate algum problema encontrado nesse artista

  • Antonio Pontes Junior
  • Adicionado por
    Antonio Pontes Junior
    em 18/08/2007 13:32:00