Dick Giordano



País de nascimento: Estados Unidos da América
20 de julho de 1932
27 de março de 2010

Lista de revistas com trabalhos de Dick Giordano
Veja lista detalhada dos trabalhos


Richard ("Dick") Joseph Giordano nasceu em Nova York e desde a infância era fã de histórias em quadrinhos. Aos 13, decidiu que iria trabalhar na área. Em 1952, foi aprendiz no estúdio de Jerry Iger, por nove meses. Arte-finalizava cenários e fazia a limpeza em "Sheena" e "Wings Comics", da Fiction House. A partir de 1953, trabalhou como "freelancer" para a editora Charlton. Ilustrou quadrinhos policiais na Lev Gleason (1955) e algum material na Marvel (1957) e na Treasure Chest (1962).

Fez trabalhos para a Dell de 1962 a 66, entre os quais “The Lieutenant”, “Nukla”, “Flying Saucers” e “Guerra, Sombra e Água Freca” (“Hogan’s Heroes”), e um pouco na editora Tower, em 1966.

Giordano tornou-se o editor administrativo da Charlton em 1965, onde trabalhou em diversos títulos. Ele promoveu super-heróis como o “Questão”, “Capitão Átomo” e o “Besouro Azul”.

No final da década de 1960, ingressaria na DC Comics, levando com ele o roteirista Denny O’Neil e os artistas Jim Aparo e Pat Boyette, todos da Charlton. Tornou-se editor de “Aquaman”, “Sexteto Secreto”, “Rastejante”, “Os Falcões” e “Rapina & Columba”). Sua primeira associação com o desenhista Neal Adams foi também seu primeiro trabalho com “Batman”, uma história em duas partes que começou em “World’s Finest Comics” nº 175 (maio de 1968).

A partir de novembro de 1969 Giordano passou a ser “freelancer” por um ano. Fez então histórias para a Archie e Marvel, e trabalhou como arte-finalista na história “Super-Homem vs. Homem-Aranha”, entre outros projetos, como as séries “Mulher-Maravilha”, “Mundo de Krypton”, “Alvo Humano”, “Liga da Justiça”, “A Rosa e o Espinho”, “Vigilante”, “Elektron”, “Flash”, “Coringa”, “Kobra” e “Poderosa Isis”.

ANOS 70:
Giordano se associou a Neal Adams para, em 1971, formar a Continuity Associates, um grupo de publicidade comercial. Deixou oficialmente a Continuity em 1977 e formou sua própria companhia, a Dik-Art Inc.

Voltou definitivamente para a DC em outubro de 1980 e desenvolveu o novo "design" do logotipo de “Batman”, no qual as letras que compoem o nome do conhecido herói têm o formato de um morcego . Em meados de 1983 (http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=materias&cod_materia=149), a DC negociou a aquisição de diversos super-heróis da Charlton. Esses heróis chegaram a tempo de participar da "Crise nas Infinitas Terras", mini-série que reunia todos os personagens da DC numa só aventura. O roteirista Alan Moore queria usá-los numa série que estava bolando. Giordano negou, pois a DC havia lhe prometido um título semanal com eles, que se chamaria “Comics Cavalcade Weekly” (http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=materias&cod_materia=149). Só que a DC preferiu a idéia de usar a já existente “Action Comics” como uma revista semanal, liberando todos os personagens da “Action Heroes Line” para outros autores. Para piorar, o tal projeto de Moore acabou se constituindo num dos maiores êxitos da editora, “Watchmen”. Giordano lamentou profundamente o descaso com os personagens que tanto estimava, crendo que, se tivessem protagonizado “Watchmen”, entrariam definitivamente para os anais das HQs mundiais.

Por fim, Giordano tornou-se vice-presidente e diretor editorial da DC. Sob sua gestão, a editora passou por um dos seus períodos mais criativos. Ele também fez a arte-final de algumas edições de "Crise nas Infinitas Terras" e da reformulação do Superman por John Byrne.


Notas e fontes
lambiek.net/artists/g/giordano_dick.htm



Relate algum problema encontrado nesse artista

  • Guia dos Quadrinhos
  • Adicionado por
    Guia dos Quadrinhos
    em 05/03/2007 00:00:00