As histórias em quadrinhos como informação imagética integrada ao ensino universitário/2006

Gazy Andraus


As histórias em quadrinhos são objetos visuais expressivos de comunicação e informação imprescindíveis ontologicamente, pois acompanham o processo cultural humano desde seus primórdios, impulsionadas pelas tecnologias que possibilitaram a sua reprodução. A mudança de paradigma científico, do clássico e cartesiano para o quântico, tem modificado a visão da interação entre o homem e a realidade, de uma objetividade pragmática para uma intersubjetividade probabilística, alinear, complexa e sistêmica.
Além disso, os estudos cognitivos através da tomografia computadorizada ampliaram os conhecimentos do aparato cerebral, estipulando uma mente neuroplástica cujo funcionamento triádico: cérebro central, pragmático; esquerdo, racional e direito, intuitivo, requer uma melhor interação proporcional.
Graças à tomografia computadorizada, já se sabe que as imagens são lidas como informação imagética pelo hemisfério direito do cérebro, enquanto que os fonemas pelo esquerdo. O ensino tradicional, porém, se apóia na física clássica, linear e fragmentada, com base na informação escrita científica, estimulando, portanto, o hemisfério esquerdo, em detrimento ao direito, ignorando as informações intersubjetivas, como os desenhos.

Download: 1187