Alegorias da diferença: valores, estigma e segregação social nos quadrinhos dos X-Men/2003

Marcus Vinicius Borges Siani


A presente dissertação tem como objetivo fazer uma análise das histórias em quadrinhos dos X-Men. Criados em 1963 por Stan Lee, elas possuem uma grande legião de fãs no mundo inteiro. Pretendemos demonstrar como tais narrativas quadrinísticas expressam os valores de diferenciação social e depreender elementos que apresentem os processos de estigmatização e segregação social às quais os personagens principais são submetidos, por serem "diferentes" dos humanos ditos "normais". Os X-Men são mutantes , conferindo-lhes capacidades inimagináveis para as pessoas comuns . Tentaremos também mostrar como tais atores, a fim de não sofrerem com a marginalização que lhes é imposta, criaram uma organização do tipo "communitas" . Para embasar nossas reflexões utilizaremos como arcabouço teórico fundamental os conceitos de "estigma" desenvolvido por Erving Goffman, a noção de "pureza e impureza" proposta por Mary Douglas e as teses de Victor Turner acerca da "communitas" e dos períodos de liminaridade.

Download: 795